INTRODUÇÃO AO PROCESSO CERVEJEIRO

      Quando dizem que beber cerveja é mais fácil do que fazer, não é brincadeira! O processo exige organização, limpeza, segurança e criatividade. Pensando em facilitar um pouco a compreensão sobre a fabricação da cerveja, decidimos explicar todas as etapas necessárias! Esse é o primeiro passo para produzir a sua própria cerveja. Depois disso, dá para entrar mais a fundo em cada uma das etapas e nos equipamentos necessários.

Elaboração da receita, Escolha da receita e Moagem

      Tudo começa com a elaboração da receita e escolha das matérias-primas. As principais matérias-primas já foram abordadas no último post. A escolha de cada uma das matérias-primas depende do estilo da cerveja. Uma cerveja pilsen alemã, por exemplo, que tem um perfil sensorial limpo, utiliza a levedura lager, maltes de cevada de cor clara, sem caráter caramelado ou defumado, e lúpulos nobres com aroma floral.

      Depois da definição da receita e escolha dos ingredientes, vem a etapa de moagem do malte. Nessa etapa, o malte é moído na medida certa, nem muito e nem pouco. Malte muito moído atrapalha nas etapas seguintes e malte pouco moído não é aproveitado ao máximo.

Moagem ideal do malte

Brassagem: Mosturação, Clarificação e Fervura

      Depois da moagem, adiciona-se água quente ao malte moído e começa a primeira etapa da brassagem, a mosturação! Durante a mosturação um caldo açucarado é formado. Há uma extração dos componentes do malte pela água quente, formando esse caldo. É como se um chá de cevada estivesse sendo feito, e a palavra no jargão cervejeiro para esse “caldo açucarado” é mosto. Vocês vão ouvi-la muito a partir de agora!

      A etapa posterior à mosturação chama-se clarificação, que é a separação do grão e do mosto, formando o mosto clarificado. Esse mosto clarificado passa para a próxima etapa, que é a fervura. É nessa etapa que o lúpulo, também conhecido como tempero da cerveja, é adicionado. A fervura é necessária por diversos motivos, dentre eles liberação de compostos amargos e de sabor do lúpulo e a esterilização do mosto. Depois da fervura o mosto é resfriado, aerado e transferido para o fermentador, onde a levedura é adicionada.

Fervura do mosto com adição do lúpulo em flor

boil

Fermentação & Maturação

      No fermentador, quem trabalha é a levedura e o cervejeiro aguarda. O cervejeiro apenas controla a temperatura, a pressão e acompanha o processo, fazendo análises que indicarão o fim dessa etapa. É aqui que a mágica acontece! Um caldo doce e açucarado transforma-se em uma bebida rica, encorpada, gaseificada, com espuma cremosa e o melhor, com álcool. O álcool, tal como o gás e os sabores típicos da cerveja, é formado pela levedura, que utiliza o açúcar do mosto para fermentar, adquirindo assim energia para sobreviver e crescer. Afinal, a levedura é um ser vivo cujo sonho é virar duas, ou seja, reproduzir a espécie.

      A maturação tem início assim que o cervejeiro declara o fim da fermentação. Essa etapa normalmente ocorre no próprio fermentador e consiste em baixar a temperatura para um valor próximo de 0 oC. Nessa temperatura, a levedura e diversos outros compostos decantam e podem ser retirados. A maturação é fundamental para arredondar o sabor da cerveja, que fica límpida e suave. Essa etapa pode durar de poucos dias a anos, dependendo do estilo da cerveja. Cervejas muito alcoólicas, como vintage ales e barley wines por exemplo, podem ser maturadas em barris de carvalho por muito tempo, uma vez que seus fortes sabores vão suavizando e refinando com os anos.

Típica adega de fermentação/maturação de cervejarias
fermentation-tanks

Envase

      O envase é a última etapa do processo. A cerveja pode ser envasada em garrafas de vidro, latinhas, garrafas pet, barris, etc. E a pergunta que não quer calar: o que é chopp??? O chopp e a cerveja podem ter origem do mesmo tanque, a diferença é que a cerveja é pasteurizada (submetida à temperatura alta por determinado tempo) e o chopp não. A pasteurização tem como finalidade evitar contaminação da cerveja por microrganismos, aumentando assim a vida de prateleira do produto. Normalmente garrafas são pasteurizadas e barris não, mas existem chopps em garrafa e barris de cerveja!

      Caso tenha alguma dúvida pergunte aqui nos comentários que ficaremos felizes em explicar! Se desejar aprender a arte de fazer cerveja em casa, rapidamente e sem complicação, é possível se inscrever nos nossos workshops educativos, especialmente o Workshop Mestre Cervejeiro Caseiro, em que mostramos do começo ao fim como fazer a sua cerveja artesanal.

Ajude a divulgar a cultura cervejeira!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *