Punk rock com Rivokill

Rivokill banda

Fortemente inspirada na banda americana The Offspring, a Rivokill executa o melhor do punk rock e evoca toda a energia do estilo.

Confira a entrevista que fizemos com a banda, que vai abrir os trabalhos no Tubá-nharô Music & Arts Festival, marcado pra dia 24 de novembro na Todai-Ji Club.

ERICK ELLWANGER: Quem faz parte da Rivokill?

RIVOKILL: Somos 5. Ana com o baixo e backing vocais, Andreza na guitarra base, Edir (mais conhecido como Hiroto) na guitarra solo, Lenita nos vocais e o Vini na bateria e backing vocais.

Conta pra gente um pouco da história musical da banda

A Lenita e o Vini são amigos de longa data, se conheceram no cenário underground de Tubarão há cerca de 10 anos, cada um com sua banda, mas dividindo o palco diversas vezes em eventos da região. Com a vontade de criar algo diferente, e até mesmo criar um projeto onde pudessem percorrer o sul do país inteiro, em 2017 pensaram em uma banda de punk rock com front-line de meninas. Foi então que foram convocadas as pessoas cujo perfil mais se encaixava nos diferenciais da banda e hoje essa família está, aos poucos, ganhando espaço no cenário atual.

“Com a vontade de criar algo diferente, e até mesmo criar um projeto onde pudessem percorrer o sul do país inteiro, em 2017 pensaram em uma banda de punk rock com front-line de meninas. Foi então que foram convocadas as pessoas cujo perfil mais se encaixava nos diferenciais da banda.”  

Rivokill

Quais os estilos musicais que inspiram vocês?

Pessoalmente, cada um tem os seus gostos e estilos próprios, indo do erudito ao metal. Porém, é o punk rock que todos curtem em igualdade.

“(…) cada um tem os seus gostos e estilos próprios, indo do erudito ao metal. Porém, é o punk rock que todos curtem em igualdade.”

Rivokill

Quais os estilos que a banda toca?

Nossa principal missão é resgatar a energia que o punk rock trouxe um dia. Queremos também que a cena dê mais oportunidades para bandas com garotas, pois não vimos muito isso por aqui. Nós começamos como uma banda que faz um repertório especial de The Offspring e a oportunidade de introduzir outros clássicos do punk rock foi surgindo aos poucos.

O que acham do cenário musical na região, especialmente o alternativo?

Acreditamos que está em desenvolvimento. Começamos a tocar há 10 anos e temos visto que as músicas alternativas estão ganhando mais espaço em locais não antes descobertos. O que tem acontecido também é que a diversidade está ganhando força. As mesmas pessoas que gostam de cantar clássicos do sertanejo, podem estar em outro dia numa roda punk com os amigos.

“Nossa principal missão é resgatar a energia que o punk rock trouxe um dia.”

Rivokill

Vocês tem algum trabalho autoral?

No momento o nosso foco são as músicas clássicas do punk rock. Acreditamos que, quando for a hora de criar algo nosso, será algo muito bem pensado e feito com muita energia.

Qual a opinião do grupo sobre os eventos da Cambirela?

Os eventos do Cambirela tem aberto inúmeras portas aos mais variados estilos de bandas, agradando a todos os gostos e estilos e enriquecendo a cena não só de Tubarão como da região. São eventos em que pode se encontrar tanto um artista fazendo trabalho solo com voz e violão, como uma banda tocando e agitando muito.

E qual a expectativa de vocês em tocar no Tubá-nharô Música & Arts Festival dia 24/11?

Acreditamos que será uma experiência incrível. Tubarão é um dos berços da banda e sempre gostamos de tocar na Cidade Azul. Esperamos que esse evento nos abra mais oportunidades para novas parcerias com a Cambirela e estamos ansiosos para ver todo mundo dia 24/11 cantando e pulando com a gente.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *